Histórico

O nome dado ao município de Lobato, data desde o início de seu desbravamento. A 

única história deste nome que todos os moradores conhecem, é que foi dado pela 

Companhia Melhoramentos Norte do Paraná (CMNP) em homenagem ao ilustre 

escritor brasileiro MONTEIRO LOBATO. Sua fundação iniciou-se com a vinda da 

missão inglesa no ano de 1.923, chefiada pôr Lord Montagu, vieram decisivamente para 

colonizar o Norte do Paraná. No ano de 1.924, quando a referida Companhia se 

estabeleceu na região, fundando a cidade de Londrina, a vasta zona de terras situadas 

nas bacias dos rios Paranapanema, Ivaí, Tibagi e Piquiri eram tudo sertão bruto. Nesta 

região denominada Norte Novo, surgiu mais tarde outras cidades como Maringá, 

Apucarana, Astorga, Arapongas, inclusive a nossa querida Lobato. 

Em 1.948, começaram a chegar seus primeiros desbravadores. Vindos de vários estados 

brasileiros como: São Paulo, Minas Gerais e Estados do Nordeste, descendentes de 

Portugueses, Japoneses, Italianos e Espanhóis. Em plena mata cerrada, eles construíam 

seus ranchos que foram os primeiros pontos marcados pela Companhia, surgindo, nesta 

época, as primeiras lavouras de café, mamona e algodão, sendo que o café e a mamona, 

foram posteriormente substituídas por outras culturas em virtude das fortes geadas. 

Em 1.950 chegam as primeiras famílias que são os memoráveis pioneiros: Ildefonso 

Martins Portelinha (Comerciante de tecidos), Haride Cavalete (Proprietário de Bar, 

Restaurante e Cinema), Thomás Francisco Cafofo (Comerciante de secos e 

molhados), Joaquim Francisco Pinto (Comerciante de secos e molhados), Wilson de 

Lima Lemos (Farmacêutico e Escultor em madeira) e Oscar Cotrim Ribeiro 

(Farmacêutico e Músico). Nesta época foram construídos os templos religiosos: Igreja 

Católica e Apostólica Romana, Congregação Cristã do Brasil, Assembléia de Deus e 

Centro Espírita Jesus de Nazaré. Atualmente, Lobato possui cinco templos religiosos, 

sendo: Igreja Católica Apostólica Romana, Congregação Cristã do Brasil, Assembléia 

de Deus, Só o Senhor é Deus e Deus é Amor. 

Devido ao seu rápido crescimento, Lobato não chegou a ser elevado ao estágio de 

Distrito Administrativo, tendo sido promovido diretamente a condição de município 

emancipado do município de Astorga, através da Lei Estadual No 2.804 de 31 de julho 

de 1.956, sancionada pelo então governador Moyses Lupion. Fruto da exuberância do 

solo e do esforço dos primeiros desbravadores do sertão o município de Lobato 

constituiu afirmação dinâmica, chegando a ter aproximadamente 15 mil habitantes na 

década de 60. Devido as fortes geadas ocorridas nas décadas de 60 e 70, e o 

empobrecimento do solo devido a não utilização de tecnologia, as lavouras de café 

foram gradativamente substituídas pelas pastagens, perfazendo hoje 65% da área do 

município. 

A instalação oficial do município ocorreu no dia 14 de dezembro de 1.956, sendo 

empossados na ocasião, o primeiro prefeito municipal eleito, Sr. Ildefonso Martins 

Portelinha, e também a primeira Câmara de Vereadores, composta pelos seguintes 

vereadores: José de Salles, Ercílio Masson, Durval Colontônio, Sebastião Veiga e Silva, 

Jorge Misse, Jair Américo de Oliveira, José Cavaleti, Waldevino Pereira de Carvalho e 

Wilson de Lima Lemos, e pelo fato deste último não ter tomado posse, convocou-se o 

primeiro suplente, Joaquim Francisco Pinto, que também não tomou posse, tendo então 

assumido o segundo suplente João Pereira de Souza. Com esse processo a expulsão dos trabalhadores rurais para outras regiões que lhes 

oferecessem melhores condições de vida foi inevitável. Passado por esse processo, 

Lobato conta hoje com aproximadamente 4 mil habitantes. 

Devido ao seu povo amigo e hospitaleiro, Lobato recebeu alcunha de "Capital da 

Amizade". Aos seus habitantes, dá-se a denominação de Lobatense. 

O município de Lobato ocupa uma área de 266 km², a uma altitude média de 480 

metros acima do nível do mar. Sua posição geográfica está definida pelas seguintes 

coordenadas: 23º 0030" de latitude sul e 51º54"00 de longitude. Localiza-se no 

Noroeste do Estado do Paraná, ficando a 480 km de distância de Curitiba, 60 km de 

Maringá, 120 km de Londrina e 130 km de Presidente Prudente – SP. Limita-se com as 

seguintes localidades: Colorado ao Norte; Flórida ao Sul; Santa Fé a Leste; Uniflor, 

Paranacity e Cruzeiro do Sul a Oeste. O clima segue a regra de toda região, sendo 

subtropical úmido, mesotérmico, com verões quentes, e geadas poucas freqüentes e 

certa tendência à concentração das chuvas nos meses de verão. Por outro lado, Lobato 

não apresenta nenhuma região seca plenamente definida. O solo local é do tipo latossolo 

vermelho escuro distrófico, com textura média. Sua topografia apresenta 75% de 

planície suavemente ondulada e 25% ondulada. 

A malha viária do município corresponde a 173 km de estradas sendo 40 

kmcascalhadas, 83 km de leito natural e 50 km com asfalto (PR – 461, PR – 458 e PR – 

463). 

A vegetação primitiva era constituída por florestas tropicais, ricas em madeiras nobres, 

como: Peroba, Cedro, Canafístula, ipê, etc. Devido à fertilidade do solo e as boas 

condições climáticas, foi substituída por plantações permanentes e temporárias, sendo 

que hoje o município possui aproximadamente 5 % desse remanescente florestal. Deste 

total, 61,76% concentra-se em duas Reservas Particulares do Patrimônio Natural 

(R.P.P.N.) das Fazendas da Barra e Remanso, com áreas de 588,5 ha e 233,0 ha, 

respectivamente, totalizando821,5 ha. 

Em 15 de agosto de 1.960, foi inaugurada a PRAÇA MONTEIRO LOBATO, onde 

consta um monumento em forma de BARCO, prestando homenagem aos amantes da 

pesca e também à grande quantidade e diversidade de peixes existentes na época, em 

nossos principais rios. 

A Bandeira Lobatense é composta de 07 cores: verde, amarela, vermelha, azul, preta, 

branca e roxa. Ela tem forma de quadrilátero. No centro da Bandeira, há o brasão de 

armas que nos fornece os dados do município. 

Quanto ao seu hasteamento, é obrigatório nos dias de festas ou feriados comemorativos 

oficiais, ou então de luto(a meio pau). Pode ser hasteada nas escolas particulares e nas 

instituições esportivas, artísticas, científicas e outras. 

 

Prefeitos Municipais 

01) Ildefonso Martins Portolinha 

Gestão: 08 de Dezembro de 1.956 a 13 de Dezembro de 1.960.

 

02) Joaquim Francisco Pinto 

Gestão: 14 de Dezembro de 1.960 a 13 de Dezembro de 1.964. 

 

03) Waldevino Pereira de Carvalho 

Gestão: 14 de dezembro de 1.965 a 30 de Janeiro de 1.969. 

 

04) João do Souto Mello 

Gestão: 31 de Janeiro de 1.969 a 30 de Janeiro de 1.973. 

 

05) Waldevino Pereira de Carvalho 

Gestão: 31 de Janeiro de 1.973 a 31 de Janeiro de 1.977. 

 

06) José Amaral Costa 

Gestão: 1º de Fevereiro de 1.977 a 31 de Janeiro de 1.983. 

 

07) Fortunato Bergamo 

Gestão: 1º de Fevereiro de 1.983 a 31 de dezembro de 1.988. 

 

08) Antônio Carlos Rodrigues 

Gestão: 1º de Janeiro de 1.989 a 31 de Dezembro de 1.992. 

 

09) Fortunato Bergamo 

Gestão: 1º de Janeiro de 1.993 a 31 de Dezembro de 1.996. 

 

10) Antônio Carlos Rodrigues 

Gestão: 1º de Janeiro de 1.997 a 31 de Dezembro de 2.000. 

 

11) Tania Martins Costa 

Gestão: 1º de janeiro de 2001 a 31 de dezembro de 2004.

 

12) Tania Martins Costa 

Gestão: 1º de janeiro de 2005 a 31 de dezembro de 2008.

 

13) Fábio Chicaroli 

Gestão: 1º Janeiro de 2009 a 31 dezembro de 2012 .

 

14) Fábio Chicaroli

Gestão: 1º Janeiro de 2013 a 31 de dezembro de 2016.